vendredi 29 janvier 2010

Cristo, e este crucificado

Trecho do Sermão “Cristo Crucificado”, do pastor batista inglês Charles Spurgeon. Pregado na manhã de domingo de 11 de fevereiro de 1855, no Exeter Hall, Londres

(1 Coríntios 1:23, 1 Coríntios 2:2, Efésios 4:20)

Deixem-me muito brevemente dizer o que penso ser a pregação de Cristo, e este crucificado. Meus amigos, eu não acredito que seja pregar Cristo, e este crucificado, dar às pessoas um monte de filosofias a cada domingo de manhã e à noite, e negligenciar as verdades deste Livro Sagrado. Eu não acredito que seja pregar Cristo, e este crucificado, deixar de fora as principais doutrinas cardinais da Palavra de Deus, e pregar uma religião em que tudo é uma neblina e um nevoeiro, sem quaisquer verdades definitivas que sejam. Eu considero que um homem não prega Cristo, e este crucificado, quando durante todo um sermão não menciona sequer uma única vez o nome de Cristo; nem esse homem prega Cristo, e este crucificado, quando deixa de fora a obra do Espírito Santo, quando nunca diz uma palavra sobre o Espírito Santo, de maneira que de fato os ouvintes podem dizer: "Nós não temos como saber se existe um Espírito Santo". E eu tenho a minha própria opinião particular, que não existe tal coisa como a pregação de Cristo, e este crucificado, a menos que você pregue o que hoje em dia é chamado de Calvinismo. Eu tenho minhas próprias opiniões, e essas eu sempre falo com ousadia. É um apelido chamar de Calvinismo. O Calvinismo é o Evangelho, e nada mais do que isso. Eu não creio que podemos pregar o Evangelho, a menos que preguemos a justificação pela fé sem obras; a menos que preguemos a soberania de Deus na sua dispensação da graça; nem ao menos que exaltemos o eleito, constante, eterno, imutável, conquistador amor de Jeová; nem, creio eu, podemos pregar o evangelho, a menos que ele esteja baseado sobre a redenção peculiar que Cristo fez para o seu povo eleito e escolhido; nem posso eu compreender um evangelho que permite que os santos caiam depois que eles são chamados, e onde filhos de Deus serão queimados no fogo da condenação, depois de terem crido. Tal evangelho eu abomino. O Evangelho da Bíblia não é um evangelho como esse. Nós pregamos Cristo, e este crucificado de uma forma diferente, e para todos os contradizentes nós respondemos: "Mas vós não aprendestes assim a Cristo."

1 commentaire:

Anna a dit…

Excelente mensagem. Fez bem em traduzi-la, mtos precisam dela! :)